Depressão Infantil e a importância da prevenção do transtorno ainda na infância

capa-blog-billie-eilish-depressao
Billie Eilish e depressão: Cantora participa de campanha sobre saúde mental
9 de junho de 2019
capa-dia-do-amigo-amizade-combate-a-depressao
O papel dos amigos no combate à depressão
9 de julho de 2019

Depressão Infantil e a importância da prevenção do transtorno ainda na infância

depressão infantil

A depressão infantil está relacionada, na maioria das vezes, com a relação da criança com os demais. Portanto, o meio familiar e escolar são essenciais para dar suporte e identificar quando é preciso buscar ajuda psicológica.

Por exemplo, se a criança vê sua mãe sorrir, ela se sentirá querida e reconhecida, estabelecendo uma reação de confiança com a figura materna para identificar o que sente. Porém, se a mãe estiver sempre chateada ou deprimida, a criança vai construir uma imagem de si mesma onde só cobrirá as expectativas impostas a ela, alheias aos sentimentos, pensamentos e desejos próprios.

Portanto, é essencial que os familiares busquem construir uma relação positiva, afetiva e de confiança com os filhos.  Assim, com estímulo e motivação, a criança pode desenvolver seu potencial e ter boas relações com os demais.

 

A prevenção da depressão ainda na infância

A depressão é a terceira doença mais recorrente entre adolescentes e a segunda principal causa de mortes entre 15 e 25 anos no mundo. Por essa razão, é preciso desenvolver nas crianças habilidades socioemocionais. Assim, conseguirão lidar melhor com emoções e situações de estresse que possam desencadear a depressão no futuro.

“Se desde crianças as pessoas forem capazes de processar, entender e compreender melhor emoções, como tristeza, raiva e medo, elas terão muito mais clareza e condições para lidar com elas e, provavelmente, serão menos afetadas pelo estresse e outros sentimentos”, disse Adriana Fóz, pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Neurociências Clínicas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A adolescência pode ser uma fase difícil para o jovem que não está bem preparado psicologicamente. Alguns fatores ainda dificultam o diagnóstico da depressão entre os adolescentes, como o desconhecimento sobre saúde mental e a ideia de que a juventude é uma fase feliz da vida e, portanto, não é possível estar deprimido nela. Há também uma visão deturpada de que depressão é uma fraqueza.

 

Importância da escola no combate a fatores de risco para depressão

A exposição ao bullying, maus-tratos e situações de violência na comunidade são alguns fatores de risco para a depressão infantil e entre adolescentes. Entre os jovens com mais de 12, a sensação de rejeição e exclusão social é muito relevante para o desenvolvimento de um transtorno psicológico.

Alguns estudos mostraram que a sensação de solidão gera um impacto importante nos jovens e contribui para elevar o risco de desenvolvimento de problemas de saúde mental, destaca o pesquisador Polanczyk. “O adolescente, em razão de todos os processos pelos quais passa durante essa fase da vida, precisa de um grupo para se identificar e se sentir pertencente. Ele é muito mais sensível às rejeições sociais do que o adulto e a criança”, disse.

A escola é um espaço de aprendizado coletivo e de acolhimento. Por essa razão, tem um papel importante para ajudar crianças e adolescentes a desenvolver habilidades emocionais. Trata-se de um ambiente com grande potencial para identificar problemas entre os jovens e criar espaços de convívio.

Uma das formas que a escola pode atuar na prevenção da depressão entre adolescentes é falar mais abertamente sobre problemas de saúde mental. Também é importante desenvolver habilidades de mediação de conflitos para manejar o estresse e fortalecer laços entre os estudantes.

Além disso, é fundamental que a instituição trabalhe para combater fatores de risco para a depressão. Por exemplo, enfrentando o bullying físico e virtual e identificando sinais de instauração de um quadro de depressão. Ressaltando que não cabe à escola fazer diagnóstico de casos de depressão, mas que o professor pode observar um aluno em dificuldade e indicar para avaliação de um especialista.

Para um trabalho eficiente, os professores também precisam de apoio a fim de desenvolver competências para discutir sobre depressão em sala de aula. Outros atores também são importantes para esse debate, como a família e a comunidade.

 

Referências: Guia Infantil, R7

Deixe uma resposta