Depressão: entenda a relação com compras compulsivas

Conhece alguém que compra mais do que pode, ou compra coisas em exagero por impulso? Isso pode ser sinal de um transtorno sério e que tem consequências importantes na vida do indivíduo. E também pode ter relação com a depressão.

Estudos apontam que existe uma relação entre a compra compulsiva e os transtornos depressivo e obsessivo compulsivo. Neste Dia do Consumidor (15 de março), vale colocar em pauta a questão. Portanto, a compulsão por compras é considerada uma doença quando se trata de um desejo irresistível de comprar vários itens, podendo trazer sérios danos à vida dos indivíduos.

A pessoa sente um grande alívio da tensão, estresse e sofrimento ao realizar compras em excesso. Porém, em seguida vem o sentimento de culpa. Estima-se que de 5% a 8% da população global sofrem com esse comportamento.

Entre os principais transtornos mentais relacionados a esse comportamento ficaram a ansiedadetranstornos de humor como depressão e bipolaridade, bem como, distúrbios alimentares, TOC (Transtorno obsessivo compulsivo) e síndrome de acumulação.

Pesquisa: 89% dos compradores compulsivos têm depressão

Uma pesquisa realizada no Brasil constatou que 89% das pessoas que fazem compras compulsivas apresentam sintomas de depressão. Assim, o objetivo da pesquisa foi identificar possíveis indicadores de compras compulsivas na população.

Ao todo, 359 pessoas participaram do estudo, que foi realizado via formulário online.

Assim, a pesquisa apontou que o transtorno de compra compulsiva não tem relação com indicadores socioeconômicos. Pessoas de diferentes classes sociais podem ser afetadas.

Além disso, a pessoa com depressão poder desenvolver as compras compulsivas como válvula de escape para o sofrimento, o caminho pode ser o inverso. Portanto, em alguns casos, o indivíduo começa com o transtorno de compras compulsivas e desenvolve a depressão devido às complicações sociais e financeiras geradas com o transtorno.

Outra pesquisa indica que 33% dos pacientes com depressão apresentam sintomas do transtorno obsessivo compulsivo, o que poderia facilitar o desenvolvimento da compulsão por compras.

Como tratar a compulsão por compras?

Para tratar a compulsão, é importante o acompanhamento do médico e do terapeuta. Assim, o psicólogo ou psicoterapeuta poderá ajudar o paciente a identificar os gatilhos para o comportamento.

Quando relacionado a transtornos mentais como depressão, poderá ser necessário o uso de medicamentos. Além disso, o médico poderá prescrevê-los a partir do método de tentativa e erro ou utilizar o teste farmacogenético para uma prescrição mais assertiva.

O exame farmacogenético identifica como os genes interferem no comportamento dos fármacos e indica quais deles devem oferecer resultados mais positivos e quais possuem mais riscos de causar efeitos colaterais.

Conte com a GnTech

A Gntech desenvolveu dois testes farmacogenéticos que abrangem os medicamentos utilizados no tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo. O PsicoGene é focado em medicamentos de tratamento de doenças do Sistema Nervoso Central e analisa 93 fármacos e 23 genes. Já o TotalGene, analisa os mesmos genes do PsicoGene e mais medicamentos e genes que podem direcionar tratamentos de especialidades como Oncologia, Cardiologia e Infectologia, sendo uma opção mais completa.

Saiba mais sobre os testes farmacogenéticos clicando aqui.

Respostas