Depoimento Dr. Jivago
21 de maio de 2018
mal de parkinson
Parkinson: estudo acredita que distúrbio pode ter início fora do cérebro
4 de junho de 2018

Insônia: uma em cada cinco pessoas dorme mal

Homem sofrendo de insônia

É comum encontramos pessoas reclamando de cansaço por terem dormido mal. Talvez você não saiba, mas ela pode ser vítima de um distúrbio de desconforto que afeta seu sono, mais conhecido como insônia. E ela é mais habitual do que imaginamos.

De acordo com um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica, SBNC, uma em cada cinco pessoas sofrem de insônia. No Brasil, 45% da população afirma dormir mal. Aproximadamente 52% relatam que já acordam cansadas enquanto outras 32% dizem demorar para dormir.

Estes números, inclusive, podem refletir em outras alterações psicológicas, como depressão e ansiedade, uma vez que a insônia está ligada diretamente com estes sintomas.

Insônia

A insônia está presente na vida de milhares de pessoas por todo mundo. Caracterizada por um distúrbio no sono que causa a dificuldade em adormecer, este sintoma acaba sendo prejudicial a saúde.

Existem três tipos de insônia:

  • Aguda
  • Subaguda
  • Crônica

A principal diferença entre elas está no tempo de duração. A insônia aguda tende a durar menos de um mês. Caso ultrapasse este período, já pode ser considerada subaguda, que dura entre 4 e 6 semanas. Agora, se o problema continuar por mais de 6 meses, então temos o diagnóstico da insônia crônica. É importante saber qual tipo você sofre para procurar o tratamento correto.

Como um efeito dominó, a insônia gera outros problemas no dia-dia de quem sofre com ela. Cansadas, as pessoas que possuem o sintoma não conseguem realizar tarefas e atividades da melhor maneira porque seu corpo apresenta exaustão. Por isso, é importante tratá-la com um especialista ou com novos métodos.

Clique aqui e saiba quais as causas da insônia

Tratamento da insônia

Algumas dicas que escutamos de amigos ou parentes podem ser úteis para o tratamento da insônia. Escutar músicas tranquilas, deixar o ambiente tranquilo e tomar um banho quente sã boas opções para quem quer se livrar do sintoma.

Se mesmo assim o problema persistir, entretanto, o próximo passo é marcar uma consulta com um médico especialista. Ele irá te diagnosticar e iniciar um tratamento. Existem casos, no entanto, em que a medicação pode não ser eficaz, uma vez que ela acaba não sendo 100% adequada para sua genética.

Nestes casos, existem novos métodos na medicina personalizada que geram resultados muito mais satisfatórios, como o Teste Farmacogenético. Com ele, o paciente recebe um laudo completo dos medicamentos adequados para seu tratamento.

Saiba como funciona o Exame Farmacogenético para Sistema Nervoso Central

A falta de sono pode torná-lo uma pessoa improdutiva e cansada. Por isso, procure ajuda.

Deixe uma resposta