Ansiedade social: descubra o que é, como o diagnóstico é feito e como superar

por Guido Boabaid
26/04/2024 13/05/2024

A ansiedade social é um transtorno de saúde mental que afeta várias pessoas em todo o mundo. Muito mais do que sentir um certo nervosismo em alguns contextos, ela é uma experiência quase debilitante, que interfere no dia a dia e nos relacionamentos.

Hoje, você entenderá melhor sobre essa condição, principalmente suas causas, sintomas, diagnóstico e opções de tratamento. 

Vamos lá?

Como é uma pessoa com ansiedade social?

Uma pessoa com ansiedade ou fobia social apresenta um medo intenso em determinadas situações sociais que são, com frequência, evitadas ou, apenas, suportadas.

Ela pode ser desencadeada pelo medo de ser julgado, criticado ou humilhado pelos outros. Nesses casos, o simples pensamento de interagir com pessoas desconhecidas ou participar de eventos sociais pode causar uma crise de pânico, por exemplo.

Pesquisas apontam que cerca de 13% das pessoas apresentam o Transtorno de Ansiedade Social (TAS) em algum momento da vida. De acordo com a mesma referência, a maior parte dos diagnósticos são feitos em mulheres (9%), quando comparados ao número de casos que ocorrem com os homens (7%).

Ansiedade social ou fobia social - como superar

Fobia social X timidez: quais as diferenças?

Embora a timidez e a fobia social possam parecer semelhantes à primeira vista, há diferenças importantes entre elas. Enquanto a timidez é uma característica de personalidade que pode ser superada com o tempo, a ansiedade social é uma condição que pode demandar intervenção profissional.

A timidez, geralmente, interfere menos na vida cotidiana da pessoa, enquanto a fobia social pode causar grandes prejuízos nas relações interpessoais, no desempenho acadêmico ou profissional e na qualidade de vida como um todo.

Por fim, à medida que a pessoa ganha confiança e experiência em situações sociais, a timidez diminui, enquanto o transtorno de ansiedade é crônico e, por isso, persiste por longos períodos.

O que leva uma pessoa a ter fobia social?

A fobia social pode resultar de fatores como genética, experiências traumáticas, contexto social que está inserido, traços da personalidade, mudanças intensas na própria vida, etc. 

Veja em detalhes as principais causas:

  • Fatores genéticos e biológicos: a predisposição genética influencia na possibilidade de desenvolver a fobia social devido a desequilíbrios químicos no cérebro, envolvendo neurotransmissores como serotonina e noradrenalina;
  • Experiências traumáticas: como bullying, abuso emocional ou situações de humilhação pública podem aumentar o risco e levar a uma percepção distorcida de si mesmo e dos outros, gerando ansiedade em situações sociais;
  • Contexto social: espaços que enfatizam a crítica, o julgamento ou a desaprovação contribuem para esse quadro. Além disso, pais ansiosos ou superprotetores também influenciam negativamente a habilidade de lidar com situações sociais;
  • Traços de personalidade: como baixa autoestima, perfeccionismo e excesso de sensibilidade à avaliação negativa podem predispor indivíduos a interpretar, de forma errada, o comportamento dos outros como crítico ou hostil.

Como saber se você tem ansiedade social?

Nem sempre é simples identificar a ansiedade social, pois os sintomas podem variar e se confundir com outras condições de saúde mental. No entanto, os mais comuns incluem:

  1. Sentimentos incontroláveis de medo em público, principalmente em interações com estranhos ou autoridades;
  2. Tentativas de evitar ou efetivamente evitar situações sociais, como festas, reuniões ou apresentações públicas;
  3. Preocupações sobre ser julgado, ridicularizado ou humilhado, mesmo que não haja evidência para isso;
  4. Manifestações físicas de ansiedade, como sudorese excessiva, tremores, rubor facial, taquicardia, falta de ar ou náusea;
  5. Grande impacto negativo nas atividades cotidianas, relacionamentos, estudos ou vida profissional devido a essa condição.

Veja mais sobre os sintomas da fobia social neste vídeo:

Diagnóstico e tratamento da ansiedade social

O diagnóstico da ansiedade social envolve uma avaliação realizada por um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra. Durante a consulta, o profissional pode realizar entrevistas clínicas, questionários e avaliações comportamentais para determinar a gravidade e a natureza dos sintomas apresentados pelo paciente.

Quanto ao tratamento, pode incluir terapia cognitivo-comportamental (TCC), que ajuda a modificar os pensamentos negativos e desenvolver habilidades sociais. A TCC acontece individualmente ou em grupo, dependendo das preferências do paciente e da gravidade do quadro.

Além da terapia, medicamentos podem ser prescritos para ajudar a reduzir os sintomas de ansiedade, especialmente em casos mais graves, como os antidepressivos inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS) e os benzodiazepínicos, que são medicamentos ansiolíticos.

Outras formas de tratamento, como técnicas de relaxamento, meditação, exercícios físicos e suporte social, também podem ser benéficas como complemento à terapia principal. 

É importante que o paciente trabalhe sempre em colaboração com seu profissional para desenvolver um bom plano de tratamento, que leve em consideração suas necessidades e metas de recuperação.

Leia também: Testes farmacogenéticos reduzem em 4 vezes as faltas do trabalho por doenças da mente

Como se livrar da ansiedade social?

Vencer a ansiedade social pode ser um desafio, mas é possível, veja como:

  1. Busque orientação profissional com um psicólogo ou psiquiatra especializado;
  2. Enfrente gradualmente as situações sociais que desencadeiam ansiedade, começando com atividades mais simples e progredindo para desafios maiores;
  3. Pratique técnicas de respiração profunda, meditação e relaxamento muscular, para ajudar a acalmar a mente e o corpo em momentos de crise;
  4. Aprenda e pratique habilidades sociais, como iniciar conversas, fazer contato visual e ouvir ativamente, para se sentir mais confortável e confiante;
  5. Priorize dormir melhor, uma boa dieta e a prática de exercícios físicos, pois esses fatores podem impactar positivamente o bem-estar emocional e reduzir a ansiedade.
  6. Procure o apoio de amigos, familiares e grupos que possam oferecer encorajamento durante sua jornada.

Perguntas frequentes

Veja as dúvidas mais comuns sobre ansiedade social.

Como é uma pessoa com ansiedade social?

Uma pessoa com ansiedade social experimenta um medo intenso de ser julgada ou rejeitada em situações sociais, evitando interações sociais ou as enfrenta com grande desconforto.

Como se livrar da ansiedade social?

Superar a ansiedade social é possível com o apoio adequado com um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra, além da exposição gradual às situações sociais.

O que leva uma pessoa a ter fobia social?

Uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicossociais, como histórico familiar de ansiedade, experiências traumáticas, baixa autoestima e influências culturais.

Conclusão

Aqui, você viu como a ansiedade social é uma realidade para muitas pessoas em todo o mundo, afetando sua qualidade de vida e bem-estar emocional. 

É importante lembrar que ela não é algo para se envergonhar e buscar ajuda é fundamental para superar essa condição. Se você — ou alguém que conhece — está enfrentando esses desafios, não hesite em procurar apoio de profissionais de saúde mental qualificados.

Aqui na GnTech, estamos comprometidos em fornecer todo o suporte para ajudá-lo a enfrentar essa condição. Conte conosco para caminhar contigo nessa jornada!

Continue aprendendo:

Postagens relacionadas

Deixe um Comentário